INCRÍVEL: Homem desafia realidade e fica 30 minutos sem ar e sobreviveu! Descubra como isso aconteceu

INCRÍVEL: Homem desafia realidade e fica 30 minutos sem ar e sobreviveu! Descubra como isso aconteceu

Uma das coisas essenciais para o ser humano sobreviver é o ar, é ele parte imprescindível da função vital da vida humana. Parece ser algo impossível, alguém ficar muito tempo ser ar, sem respirar. Mas foi isso que aconteceu com um homem chamado Chris Lemons.

Ele fazia um mergulho quando o cabo que o conectava ao navio rompeu. Seus colegas ficaram em desesperam e contam que ainda lembram do terrível barulho que o rompimento do cabo fez. Porém Lemons não ouviu nada. Em um momento ele estava junto a estrutura submarina em que estava trabalhando e em seguida, estava caindo de costas na direção do fundo do oceano. A ligação que ele fazia com o navio rompeu, e com o rompimento toda a esperança de que pudesse retornar a embarcação perto de seus amigos.




O pior havia acontecido: o suprimento de ar, havia rompido junto , deixando-o apenas com o suprimento especial de emergência, que funcionara apenas por 6 ou 7 minutos. Nos próximos 30 minutos ele experimentaria algo que pouquíssimas pessoas ousaram experimentar: ele ficou sem ar. Isso mesmo, por 30 minutos seguidos, sem ar. Não são 30 segundos, são 30 MINUTOS SEM AR!



“Não tenho certeza se eu tinha compreensão total do que estava acontecendo”, conta Lemons. “Eu bati com as minhas costas no fundo do mar e me vi cercado por uma escuridão completa. Eu sabia que tinha uma quantidade bem pequena de ar nas minhas costas e as minhas chances de sair de lá eram quase inexistentes. Uma espécie de resignação tomou conta de mim. Eu me lembro de ter sido tomado por uma tristeza, de certa forma”.

Uma incógnita até o momento sobre como o Chris Lemons conseguiu sobreviver tanto tempo sem ar. Muitas pessoas se perguntaram sobre isso. Pesquisadores da Universidade de Ciência e Tecnologia Norueguesa, em Trondheim, descobriram que mergulhadores como Lemons, de Saturação, adaptam-se ao ambiente externo em que trabalham alterando a atividade genética de suas células sanguíneas, o que talvez pode explicar a façanha que o Mergulhador teve.

Deixe um comentário